Tempestade no fim do dia

Chega o fim do dia Ainda tão cedo Mas já tão escuro Foi o tempo que virou E veio a tempestade Raio, relâmpago, trovão Tiros, bombas, gás Balas de borracha (?) Coração disparado Respiração ofegante Por um instante: Meus olhos ardem Minha garganta tranca Minhas costelas doem Meu rosto sangra Minha fé chora … É […]

Sem título

*Por João Maurício           … Esse sentimento Quero guardá-lo Mantê-lo. Nem sempre escondê-lo Lustrá-lo, lambê-lo E assim transformá-lo em pesadelo. Arruinando esperanças Caminhando com zelo Para que sem coragem consiga vivê-lo. *João Maurício é o Jota. Nota do autor: o presente texto não tem um título definido, apenas …

*Por João Maurício           As palavras pesam solitárias, Carregadas de porquês. Carecem da leveza dos seus gestos. Distantes, elas, tornam-se banais. Um cotidiano frágil, Dentro da brutalidade do árduo trabalho. Não há saída. Não te escutar mais uma vez, A liberdade única que se desfez. Mais uma vez … Adentro. O […]

O Louco

*Por Maria Zélia Klostermann           No silêncio grita o louco Um grito de dor lacinante Que corta o vento e me alcança Neste quarto a dormitar Sua dor, desesperança De quem a guerra viu passar Sangue, morte, luto Não consegue olvidar Grita Seu grito me atinge como lança Meu peito se […]

Lugar algum

*Por Luiz Belmiro   Quem são vocês? Nobres fazendeiros banqueiros Quem somos nós? Pretos pobres velhos Gays mulheres crianças Nova York Paris Tóquio Museus piscinas bordeis Salvador Recife Curitiba Favelas praças escolas Cachaça e cerveja Água benta Champanhe e whisky Água sanitária O seu ódio Não vai impedir os nossos beijos O meu riso É […]