Greve dos motoristas e cobradores de Curitiba – 12 de janeiro de 2016

*Por Affonso Cardoso O décimo segundo dia do ano tornou-se símbolo da submissão da Prefeitura de Curitiba, administrada por Gustavo Fruet/PDT, aos interesses do monopólio que controla há décadas o transporte público da cidade. Em mais uma greve dos trabalhadores, novamente com seus salários atrasados, a “solução” encontrada foi a usual: mais dinheiro público para […]

São Paulo – 14 de janeiro de 2016

*Por Israel Dutra E hoje foi maior! A chegada das duas concentrações ao final, onde a secretaria de segurança teve que aceitar o trajeto das manifestações foi um sinal claro de uma vitória. As manifestações concentraram entre 3/5 mil no Largo da Batata e na principal concentração, Teatro Municipal, a passeata deve ter alcançado a […]

São Paulo – 12 de Janeiro de 2016

*Por Bento José Ferreira Na minha vida participei de muitas lutas que foram reprimidas violentamente pela polícia. Estive nas lutas contra a privatização da Vale e Eletrobrás durante o governo FHC. Morei durante 2002 e 2003 na argentina, onde aconteceram violentas repressões promovidas pelo governo Duhalde, pós queda do De La Rua. Participei da tomada […]

O “PIG” e a falta de informação oficial

*Por Andrea Caldas Pois bem, Dilma concedeu entrevista coletiva, hoje (07 de janeiro). Os jornais destacam duas questões: a Reforma da Previdência e a negação de uma guinada à esquerda no governo. Na matéria do Estadão, há uma frase atribuída à Dilma em que ela minimiza a posição expressa pelo presidente nacional do PT, cobrando […]

Análise inicial sobre as eleições na Espanha

*Por Israel Dutra

israel1Ainda estamos tirando as primeiras conclusões da eleição que mudou a Espanha.

O domingo, 20 de dezembro, representou um sopro de esperança para os indignados do mundo inteiro e para a juventude e classe trabalhadora de todo Estado Espanhol.
A vitória do PP foi a sua pior derrota. Rajoy terá dificuldades para formar qualquer governo estável, diante de sua queda abrumadora, apesar de ter conquistado o primeiro lugar com 28.7%. Sua perda só não foi menor que a do “bipartidarismo” de conjunto. A soma dos dois partidos tradicionais chegou apenas a metade dos votos. O PSOE sobrevive, agonizando, quase ultrapassado por PODEMOS. Os socialistas moderados tiveram 22.01, um de seus escores mais modestos em tempos recentes.
C’s, um embuste da direita modernizadora, foi a grande decepção. Como na gafe do anúncio da miss universo- onde o locutor ficou mundialmente conhecido por ter anunciado o nome da segunda colocada como vencedora- o C’s não passou na prova para ser a transição segura da burguesia espanholista. Ficou com 13.93%, longe demais dos 20% que as pesquisas e os grandes meios queriam lhe imputar para turbinar o projeto oposto a PODEMOS.

Read more about Análise inicial sobre as eleições na Espanha